início do conteúdo

Estudantes dos terceiros semestres dos cursos técnicos integrados do IFMT Várzea Grande visitaram Comunidade Quilombola em Goiás

Publicado em: Campus Várzea Grande / 28 de Novembro de 2017 às 18:37

A viagem, que também contou com a visita ao Parque Nacional da Emas, faz parte do projeto Expedições Seculares, que tem como objetivo planejar e executar visitas técnicas e aulas de campo à locais que possibilitem trabalhar as questões étnico-raciais in loco e de forma interdisciplinar

Entre os dias 19 e 22 de novembro de 2017, estudantes dos terceiros semestres dos cursos de Desenho de Construção Civil, Edificações e Logística do Ensino Médio Integrado do IFMT Campus Várzea Grande participaram do Projeto de Ensino Expedições Seculares 2017/2, que visitou Mineiros, em Goiás. A viagem contou com uma visita à Comunidade Quilombola do Cedro e seu Centro de Plantas Medicinais, no primeiro dia (20/11), e ao Parque Nacional das Emas, no segundo dia (21/11).

Segundo Jesiel Souza Silva, da Universidade de Brasília, a história da comunidade foi iniciada antes mesmo da compra da terra, por volta de 1870, quando já abrigava cerca de 30 escravos fugitivos das fazendas vizinhas. "No ano de 1885, Chico Moleque, adquiriu uma gleba de terras da fazenda Flores do Rio Verde, que na época fazia parte do Município de Jataí. Chico Moleque, que era um escravo que aos domingos trabalhava em outras propriedades e no meio de semana trabalhava para seu senhor. Com o dinheiro do seu trabalho em outras fazendas, comprou a sua liberdade e suas próprias terras, que hoje pertencem à Comunidade do Cedro. A maioria absoluta dos cedrinos é descendente de Chico Moleque" (página 5, Levantamento Etnohistórico da Comunidade Quilombola do Cedro-GO, 2012). 

A Comunidade Quilombola do Cedro está localizada em Goiás, próximo à divisa entre os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Ela possuiu uma área comum em nome da Associação dos Moradores do Cedro, onde está localizado o Centro Comunitário de Plantas Medicinais. Alguns membros da comunidade possuem terras no Projeto de Assentamento (P.A.) “Chico Moleque”. Estas informações, assim como a imagem acima, constam na dissertação de Fernando Thiago, de 2011, "A Comunidade Quilombola do Cedro, Mineiros, Goiás: etnobotânica e educação ambiental".

No passeio, os estudantes puderam conversar com Sr. Gerônimo Gonçalves da Silva, bisneto de Chico Moleque, um dos pioneiros da comunidade ainda vivo. Veja um pouco da conversa:

A visita à Comunidade Quilombola do Cedro foi acompanhada por Gilmar Santos e a do Centro de Plantas Medicinais foi acompanhada por Ângela Maria dos Santos e Simone Pereira Moraes. Veja um pouco da história delas, no depoimento a seguir:

Conheça um pouco da história de Weberson Gonçalves Damacena, tataraneto de Chico Moleque, que cresceu na comunidade, estudou na escola rural local e, mais tarde, fez faculdade de Educação Física em Jataí e intercâmbio durante dois anos em Portugal:

No segundo dia da viagem foi a vez de todos conhecerem o Parque Nacional das Emas, uma unidade de conservação de proteção à natureza localizada na região sudoeste de Goiás, com cerca de 132 mil hectares distribuídos pelos municípios de Mineiros, Chapadão do Céu e parte de Costa Rica-MS. O parque foi criado através do Decreto Nº 49.874, emitido em 11 de janeiro de 1961, e teve seus limites revistos posteriormente pelo Decreto 70.375, de 6 de abril de 1972, e preserva as diversas nascentes dos rios Jacuba e Formoso, afluentes do rio Paranaíba, da bacia do rio Paraná.

Dentro do Parque, os estudantes puderem fazer uma trilha de 8,5km pelo cerrado e dentro da mata fechado, visualizando flora e fauna da região, acompanhados por 03 (três) guias credenciados.

Leia mais: Estudantes relatam suas experiências em conhecer antiga comunidade quilombola

Galeria de fotos AQUI.

início do rodapé

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso

Avenida Sen. Filinto Müller, 953 - Bairro: Duque de Caxias - CEP: 78043-400

Telefone: (65) 3616-4100

Cuiabá/MT